O Mistério do Cinco Estrelas - Marcos Rey (Ed. Ática)


Clássico da subestimada série vaga-lume, e sucesso conhecido entre adolescentes, este curto policial de Marcos Rey tem efeito bastante eficaz como leitura de fim-de-semana ou companheiro durante um vôo. Possivelmente um dos mais bem construídos e fluidos da coleção, “O Mistério do Cinco Estrelas” é a pedra inaugural das aventuras da turma do bairro do Bexiga, que figurariam mais tarde em “O Rapto do Garoto de Ouro”, “Um Rosto no Computador” e “Um Cadáver Ouve Radio”, todos excelentes mais que não chegaram a repetir o êxito deste primeiro capitulo. De Marcos Rey na série vaga-lume já o soberbo “Doze Horas de Terror” e o inesquecível “Sozinha no Mundo”. Aliás, os romances da série são o que existem de melhor para o público jovem e pré-adolescente. São livros que falam de temas importantes e sobretudo de ética e responsabilidade pessoal e social. São ótimos formadores de opinião, e porque não do caráter do jovem.

Em “O Mistério do Cinco Estrelas” o jovem Leo acaba de começar em um humilde, porém badalado emprego de Office-boy (ou bellboy) em um dos hotéis mais luxuosos e imponentes da grande São Paulo, o fictício Emperor Park Hotel. Filho de um marceneiro artesão e uma dona-de-casa, descendentes de italianos, Leo faz a linha de adolescente exemplo: bem quisto pela família e pela vizinhança, simpático e responsável, ele parece o tipo improvável que se meteria em algo tão atroz como uma acusação infundada de homicídio. Ao presenciar a atitude muito suspeita de um dos mais ilustres hospedes do hotel, o Barão, o rapaz resolve seguir o próprio instinto e inicia uma angustiada busca pelo cadáver que acreditava ter visto de relance sob a cama do homem. Mas eis que Leo torna-se vitima de um complô e inesperadamente perde o emprego, perdendo também a chance de provar que estava certo com relação ao crime que presenciara.

Fora do privilegiado emprego que lhe deixava próximo de grandes nomes da sociedade e que lhe rendia generosas gorjetas, Léo pode contar apenas com o pequeno auxilio de Guima, o porteiro do Park Hotel, a quem devia não apenas o antigo emprego, mas também anos de amizade para com ele a família. É Guima, por sinal, que trás diariamente novas noticias sobre o comportamento do Barão e que aconselha Leo a se manter afastado daquela intriga. Mas quem disse que o rapaz se dá por satisfeito?

O Mistério do Cinco Estrelas” é um suspense no qual o maior trunfo não é descobrir quem é o criminoso, mas sim provar que ele cometeu o crime. É uma trama tão bem urdida, rápida e escrita com tamanho zelo e respeito por seu público alvo que é quase impossível deixar de considera Marcos Rey um mestre do romance juvenil. Seu protagonista é um jovem possível, e não um herói improvável de aventuras fantásticas. Nesse sentido, o livro se aproxima bem mais da realidade do que se pode esperar. Aqui, a diferença de classes é gritante no sentido de que Leo não apenas é impedido de provar sua inocência, como também é calado com relação as muitas provas que vem arrecadando ao longo da histórias, porque seu algoz é um homem com uma reputação que o precede, e o que o afasta da imagem de bandido corrupto. Aqui também a policia mostra seu conhecido lado negligente e corruptível e não é pouca a sujeira que ela deixa passar diante de seus olhos.

Publicado em 1998 e com um senso gritante de urgência “O Mistério do Cinco Estrelas” é um livro que merece ser descoberto. Não apenas por sua inteligência e pelo humor fino e perceptível de Rey como cronista urbano de uma metrópole pelo qual era apaixonado, mas também como um dos livrinhos mais divertidos que uma pessoa de qualquer idade pode colocar as mãos.

10 comentários:

  1. lorrayne ferreira5 de junho de 2013 04:58

    li este livro duas vezes e adorei quando agente começa nao consegue parar.vc ai ja leu ele? se nao corra e e procure um pra ler vc nao vai se arrepender

    ResponderExcluir
  2. é muito bom , e olha que só li até a pagina 39 , pq eu só leio nas sextas , no dia do projeto de leitura na minha escola , só que o q eu estou lendo é da editora globo , e não editora ática .

    ResponderExcluir
  3. Publicado em 1998? Tem certeza disso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nao, ele foi publicado em 1981

      Excluir
    2. nao, ele foi publicado em 1981

      Excluir
    3. nao, ele foi publicado em 1981

      Excluir
  4. Oi adorei.. muito obrigado, me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços. www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

    ResponderExcluir
  5. poderia contar O RESUMO TODO COMPLETO ?

    ResponderExcluir